Carta aberta ao poeta Chico Castro


Meu bom, Chico Castro, 

Boa noite( 20h43min):


Tomei a iniciativa de me dirigir a você, nesta noite quente de Teresina, segunda-feira(11), pela amizade pessoal que, ainda, presumo ter contigo ao longo de quatro décadas de tantas militâncias, mas, principalmente, três delas que nos são muito caras e julgo serem as mais importantes nesta caminhada de vida até agora: o magistério, a literatura e o jornalismo. Portanto, em nome delas, somente delas que tomei esta liberdade de enviar esta carta pública para discordar dos teus arroubos estranhos contra a esquerda nas últimas horas nas redes sociais,   porque ambas nos unem, ainda, as outras militâncias já não importam pelos andares de todos os contextos.

Mas Chico Castro, meu bom, tenho acompanhado tuas manifestações nas redes sociais(facebook, principalmente)  contra o PT, Lula e, também, contra a esquerda em geral o que é normal na democracia(se é que ainda temos por aqui) e que nos foi dolorosa adquiri-la depois de uma ditadura sanguinária de trinta anos que tivemos que combatê-la diuturnamente e que você  foi partícipe de primeira hora. Você tem o direito pessoal de guinar à direita quando quiser e eu acho que você já o fez, movido pelas razões pessoais que não entro no mérito, apesar de me decepcionar como amigo, mas que devo compreendê-lo do ponto de vista da decisão individual tomada.

Meu bom, Chico Castro, você, como amigo, vai, agora, me permitir discordar de algumas entrelinhas dos "posts" desaforados veiculados nas redes sociais contra a esquerda, feitos nos últimos dias através das tuas teclas, inclusive  apoiando atos de delações(deduramentos) de covardes diante dos algozes a serviço dos obscuros interesses contra a maioria da nação, inclusive da maioria dos nordestinos, como nós, que experimentou, nos últimos anos,  os ventos da promoção social e da vida com dignidade em milhões. 

Chico, afirmo categoricamente, a tua intelectualidade está acima da média por ser conhecedor da práxis histórica,  ser um pesquisador de fôlego sabe muito bem quem são os inimigos do povo brasileiro aqui e alhures. Portanto, amigo,  não queira impor um discurso de falácia e frases repetidas dos garotos fascistas do MBL ou dos editoriais de uma imprensa que tem interesse múltiplo na grana farta da república coadunada com um ministério público de meritocracia capitalista de plantão e um sistema jurídico que se fundamenta, ainda, no direito romano dos baús de Mussolini e outros próceres.

Jamais te patulharia por bater forte em Wellington Dias e suas contradições ideológicas, típica dos neopetistas, que me decepcionaram logo que assumiram o poder por aqui, aliançados com a  nova aristocracia política do Piauí. 

Chico Castro,  WD nunca foi um petista de raiz por isso não me importo com sua vida pessoal, seu governo equivocado de querer sempre se repetir no poder. Vejo que você tem algo mal resolvido com ele, já que  foi assessor do mesmo em Brasília, cobre a conta que ele te deve e não me faça parecer que há interesses obscuros da tua parte contrariados nas tuas entrelinhas desaforadas e sem essência de análise mais profunda sobre a esquerda brasileira quando dá razão aos canalhas que deduram e que forçam os outros a serem cachorros sarnentos sem importância mais.

Um comunicado, meu bom Chico Castro,  não sou mais petista pelo desvio ideológico do partido neste anos todos, mas sou da esquerda com intenso orgulho cotidiano, e rebato os fascistas com a mesma vocação do passado, não há vira latismo naquilo que eu tenho acreditado ao longo dos anos por ser filho de operário, neto e bisneto de operário, pobre, nordestino, latino americano, mas que crer  na esperança da internacional de  fronte alevantada e, como dizia o bispo católico Dom Pedro Casaldáliga(e olha que hoje sou evangélico), creio no monsenhor feixe e foice.

Saudações Pessoais,

Somos Amigos,

Emerson Araújo 

Teresina, Setembro de 2017.

Nenhum comentário: