Seduc recebe educadores e sinaliza com a possibilidade de retomar negociações



Um primeiro sinal de possível retomada de negociação entre o governo do Estado e educadores da rede estadual de ensino, em greve há 50 dias, foi dado, nesta terça-feira (19), em uma rápida reunião entre o Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Maranhão (SINPROESEMMA) e gestores da Secretaria de Estado de Educação (Seduc), na qual ficou definido o indicativo da secretaria de uma outra reunião, na próxima terça-feira (26), para discutir os pleitos da categoria.


Os educadores foram recebidos pelo secretário adjunto de Estado de Educação, Fernando Silva, acompanhado de duas assessoras, depois que os trabalhadores de São Luís aprovaram a manutenção da greve, em assembleia realizada no auditório da Fetiema, de onde saíram em passeata até o prédio da Seduc, com o objetivo de estabelecer um diálogo com o governo para discutir as reivindicações, pelas quais os educadores estão em greve, em São Luís e no interior do estado.


Depois de expor, mais uma vez, os motivos que levaram a categoria à greve, o presidente do Sinproesemma, Júlio Pinheiro, cobrou do secretário uma proposta concreta do governo para o pleito dos educadores e a retomada das negociações com o governo, haja vista que desde o início da greve, o governo não apresentou proposta para a pauta reivindicada pelo sindicato. Os trabalhadores cobram a aprovação e implantação imediata do Estatuto do Educador,o cumprimento da Lei do Piso e mais 21 reivindicações que proporcionam a valorização dos educadores e melhorias na rede pública estadual de ensino.

Outros educadores e dirigentes sindicais que participaram da reunião reforçaram a cobrança do presidente e manifestaram a revolta e a insatisfação da categoria diante das medidas que o governo vem adotando para tentar acabar com o movimento grevista, que eles consideram “ditatoriais”, como os cortes de ponto, as ameaças de exoneração e devoluções de trabalhadores, o impedimento do acesso de dirigentes sindicais e educadores em greve às escolas e os ataques constantes na mídia que incentivam o confronto entre trabalhadores, estudantes e pais de alunos.

Além disso, os trabalhadores também solicitaram que fosse incluída na pauta de negociações com o governo a questão do corte de ponto e os descontos nos salários dos educadores em greve, para que seja possível a reposição das aulas, sem prejuízos aos alunos.

Todas as solicitações feitas pelos profissionais de educação foram relacionadas pelo secretário, que argumentou a impossibilidade de dar uma resposta imediata aos pleitos, por conta de “limitação orçamentária”, mas prometeu aos educadores uma resposta breve para confirmar o indicativo de reunião, até a próxima segunda-feira (25), depois que as solicitações forem discutidas internamente pela equipe do governo e encaminhadas à governadora Roseana Sarney. O secretário também disse que irá aguardar o retorno da secretária Olga Simão, que participa de reuniões em Brasília, sobre o piso salarial dos professores.

O presidente do sindicato, Júlio Pinheiro, levou o resultado da reunião à categoria, que aguardava em frente à Seduc. Os trabalhadores avaliaram positivamente o indicativo de uma reunião para tratar sobre a pauta e, mais uma vez, ratificaram o fortalecimento do movimento com novas atividades. Após o feriado da Semana Santa, os profissionais de educação voltam a se reunir, na manhã da próxima segunda-feira (25), em ato público em frente ao Liceu Maranhense, às 7h, e na Praça Deodoro, às 8h, onde ficarão concentrados, levando informações à sociedade sobre os motivos da greve e definindo novos passos para o movimento.

Outras imagens da assembleia regional de São Luís e da caminhada até a Seduc:


Fonte: Sinproesemma(clique aqui)

Nenhum comentário: