Poema de Murilo Mendes


Pintura de Joan Miró (Google)



PERSPECTIVA DA SALA DE JANTAR

A
filha do modesto funcionário público
dá um bruto interesse à natureza morta
da sala pobre no súburbio.
O vestido amarelo de organdi
distribui cheiros apetitosos de carne morena
saindo do banho com sabonete barato.

O ambiente parado esperava mesmo aquela vibração:
papel ordinário representando florestas com tigres,
uma ceia onde os persongens não comem nada,
a mesa com a toalha furada
a folhinha da qual a dona da casa segue o conselho
e o piano que eles não têm sala de visitas.

A menina olha longamente pro corpo dela
como se ele hoje estivesse diferente,
depois senta-se ao piano comprado a prestações
e o cachorro malandro do vizinho
toma nota dos sons com atenção.

Nenhum comentário: