Todas as missões cumpridas


Foto: Mônica Almeida

(*) Emerson Araújo

Chegamos ao final do pleito presidencial com a certeza plena do dever militante cumprido. E não me arrependo de ter usado esta ferramenta da web (o blog legal) de expressão pessoal para exercer a minha militância política/ideológica quase 24 horas por dia. Foram, quase 70 dias, de uma intensa defesa da candidatura da Dilma Rousseff posta pelo Partido dos Trabalhadores (PT) em 2010. Em todos os momentos que pude publicar/esclarecer/defender a candidatura do meu partido (continuo filiado ao PT do Piauí) o fiz com vigor e, reconheço, com uma paixão sem precedentes nos últimos tempos. Durante este período onde a Dilma, o Lula e o PT foram temas prioritários no blogue perdi alguns leitores ávidos e ganhei outros, contestei alguns amigos antigos com certo radicalismo e não tenho a convicção que ganhei novos, mas era preciso ser assim porque não há militância política e ideológica sem paixão, sem envolvimento profundo.

Entendo, ainda, que nas eleições presidenciais de 2010 eu deveria assumir de cara lavada e com o rosto livre para receber os “tapas” de alguns amigos francamente que se fizeram de direita a candidatura do PT. E olha que eu não teria nenhum motivo pessoal para fazê-lo por conta das perseguições e abandono que eu sofri durante o mandato do Sr. Wellington Dias no Piauí. Mas tenho um compromisso de coerência ideológica e fidelidade ao PT, a nível nacional, daí ter nascido a minha insistência com a candidatura da Dilma como opção partidária e ideológica.

Bem, fidelidades à parte, devo reconhecer que o posto como opção fora do contexto Dilma a esquerda não me empolgou para que pudesse romper com o programa desta candidatura, também. A alternativa que alguns amigos encontraram para despejar a sua descrença no PT e que eu compreendi no jogo político democrático foi a candidatura da Marina Silva determinante para a realização do segundo turno. A candidatura da Marina Silva, poderia ter sido uma alternativa às candidaturas polarizadas (Dilma X Serra) se não fosse às contradições da fala da candidata e um programa eco capitalista com colorações de defesa ambiental confuso, além, do Partido Verde sem visão programática horizontal. Muito pouco para um projeto de desenvolvimento nacional a curto e médio prazos.

Quanto à candidatura de direita de José Serra e aliados esta deveria ser combatida em todas as suas nuances por todos de uma tradição de militância de esquerda, foi o que eu fiz aqui e não me arrependo. A candidatura Serra representou a aglutinação de todas as forças da direita brasileira com as suas estratégias de calúnias, difamações, obscurantismos e, o que é pior, um projeto político nacional centrado na ganância do capitalismo internacional e nacional que sempre empurrou o país para todos os atrasos. Combati o projeto político do Senhor Serra porque ele e o seu partido (PSDB) encarnam a visão programática da direita mais atrasada que se tem notícias.

Agora, com a vitória de Dilma, todas as missões foram cumpridas na defesa intransigente desta candidatura no blogue. E a partir, de hoje, volto ao anonimato, à literatura, a educação, a arte e, com a esperança, que dias melhores serão construídos para o povo pobre do Brasil. Valeu Lula e valerá Dilma, tenho dito!

(*) Emerson Araújo é professor e poeta.

Nenhum comentário: