Canção de Agosto


Emerson Araújo


“Estendo para ti as minhas mãos; a minha alma tem sede de ti, como terra sedenta. (Selá.)” Salmo 143:6


A minha canção é a minha terra

Pouca terra por sinal

Nenhuma terra

Nesta manhã inicial

Mas tenho as mãos para ti

Mãos de pluma e névoa seca

Que vasculham segredos

Em tempo de sentimento normal.

Tenho sede de ti

E como terra sedenta

Estendo as minhas mãos

Nesta manhã inicial

Em tempo de sentimento normal.

Nenhum comentário: