As cores naturais (I)


Adriano Lobão

I
de uma árvore nem sempre
se percebe suas cores
como não se vê a cor da fome
ao comer uma fruta
ou ao fechar os olhos
de agonia

de uma árvore nem sempre
se percebe suas cores
quando nem frutos nem flores
nem folhas se fazem vivos
para perceber a cor
da vida

de uma árvore nem sempre
se percebe suas cores
quando nada mais se pode
extrair de vivo
e a inutilidade da morte
de uma árvore grita em silêncio
sua podridão

ÁgoradaTaba

Nenhum comentário: