Solidariedade a Airton Sampaio


Caro Amigo,

O teu olhar cirúrgico e a tua sintaxe asséptica sobre o Piauí, o Brasil e o mundo tem me levado a uma série de reflexões abrangentes e oportunas, volta e meia. Reafirmo a você, que mesmo estando, ainda nas fileiras do PT, fui expulso do Piauí temporariamente pelas sandálias franciscanas ora postas. E fui expulso (desculpe a repetição) porque sempre acreditei na utopia das frontes alevantadas que não foi. Mas me conforto sobre as barrancas do Rio Flores da minha querida Tuntum e quando visito os blogues dos meus amigos mais queridos. Bendita grande rede que nos reaproximou de maneira inevitável, apesar do monstro da lagoa não querer e que se vestiu de vermelho carmesim embotado há dois pleitos.

Caro, Airton Sampaio, o tempo voltou a ser de nódoa e a rosa branca foi abocanhada pelo asfalto escuro do novo latifúndio. Sei, também, da decepção que não é tua somente sobre o anúncio lúgubre de Algodões por não caber num poema qualquer. Talvez não caiba mesmo, não seja temática de poesia e sim de um tribunal internacional de justiça plena, onde os culpados terão que se contentar com um paredão sem flores. (No estatuto deste tribunal não haverá cláusulas de clemência para quem empurrar o povo para o abismo).

De resto, amigo, devo te comunicar, também, que nos últimos meses descobri que sou um ser "glicêmico" (esta madição, às vezes genética, que ruma para insulina e que me tirou o prazer de sorver garapa de cana com pão francês). Mas fazer o quê, né!
.
Fica o meu abraço e a crença de que em breve estarei dando soluções as pendências abertas com você, Leonam e João Luiz.
.
Tuntum, 20 de Novembro de 2009.

Emerson Araújo
.
PS. Continue sendo este combatente através da força da palavra em expressão, mesmo diante das ameaças anônimas de certo astronauta que acabará no chão/lixeira. Porque a boa/tua palavra será sempre vencedora.

Um comentário:

AirtonSampaio disse...

Poeta, pendências comigo não pendências, vc sabe. E ser glicêmico é mesmo muito ruim, eu que o diga. Mas é pior ser desonesto e corrupto, e nós dois não somos. E se isso, antes, era uma mera obrigação de todos, hoje virou, que absurdo!, qualidade de poucos. Abração!