Emprestado


SALGADO MARANHÃO

São feitas de crisântemos as fibras
desse fogo que se molda à palavra
(e a esse jogo em que o amor se equilibra
como se a vida, então, fosse escrava);
ou, talvez, da pelagem de uma tigra
(que ocultasse um vulcão em sua lava)
para blefar que fica enquanto migra
para fingir que beija quando crava.
Mas isto são hipóteses ou arenga
ao que se queira ou não está à venda:
um terçar de lábios na carne brusca.
São só pegadas do que seja a lenda
de algum tesouro que se nos ofusca,
que ao tê-lo não se tenha mais que a busca.

Salgado Maranhão (José Salgado Santos) nasceu em Caxias, no Maranhão.Vive no Rio de Janeiro desde 1973. Seus primeiros poemas foram editados na antologia Ebulição da escrivatura, publicada pela Civilização Brasileira, em 1978.
Tem os seguintes livros de poesia publicados: Punhos da serpente, Palávora, O beijo da fera, Mural de Ventos, Prêmio Jabuti – 1999 por Mural de ventos e Pelagem da Tigra. É também letrista de música popular brasileira, tendo parcerias e gravações com Ivan Lins, Paulinho da Viola, Elba Ramalho, Zizi Possi e Ney Matogrosso, entre outros.

Nenhum comentário: