Feliz natal

Foto: Patrícia Basquiat

Foto: Google

Para Mônica Almeida, Confraria Tarântula, F. Wilson, Adriano Lobão, Kenard Kruel, Toinho, Patrícia Basquiat, Amaral, Antônio Pereira, Adalberto Pereira, Diretoria do SINTEPI, Bartolomeu Ramos, Jacinto Teles, Hortência Mendes, Fábio Torres, Fabiana Borges, Hiran Silva e Rosinha Feitósa.


Emerson Araújo

Há uma convicção e duas causas nestas poucas horas que antecedem a mais um natal. Elas estão configuradas nas primeiras chuvas de dezembro. Boas chuvas temporãs, diga-se de passagem.
.
Porém, apesar de todo este clima de comemorações, consumo e chuvas, existe uma série de vazios para serem contabilizados, de maus poemas veiculados e de uma retumbante mesmice saudosista que tem inundado todas as estrelinhas, todos os comentários postados aqui e ali.
.
Mas é natal e esta festa que se diz cristã, ou melhor, de inumeráveis crenças continua resistindo à lentidão, ao besteirol que tem escorregado pelos cotidianos possíveis, pelos becos, boutiques e botecos do paço provincial.
.
É natal, não há o que se contestar, e nele cabe, ainda, apontar caminhos apesar das enfermidades latentes que entristecem e de vários pragmatismos que assolaram novas traições nas bandeiras que tremulam a meio pau em frente ao palácio, que não mais palácio, que não é nada.
.
É natal e pronto, sem digressões filosóficas, sem postulados divinos, sem novos substantivos adjetivados em hipotaxes nos cadernos de caligrafia que fede no esgoto da esquina, sob as dragas do alcaide que sucumbe o rio da aldeia. É natal e pronto! Sem homenagens ao escritor maior de todas espécies literárias, que deveria ter sido e não foi.
.
E por fim, revisito a essência da frase inicial e confirmo que a convicção e as duas causas apresentadas são visíveis demais no sorriso luminoso do cronista e sem querer transfigurar o dócil velhinho de barba de pluma de algodão vai se construindo entre algumas brechas e com as pontas dos dedos a sonata de feliz natal.


Emerson Araújo é poeta/professor e bloguista

Um comentário:

Adriano Lobão Aragão disse...

Feliz Natal, meu amigo Emerson.

Desejo-lhe boa poesia sempre.