Visitando o 6º SALIPI


Estive duas vezes furtivamente visitando o 6 º SALIPI. Já avancei muito nestes últimos anos enclausurado, fora das baladas literárias e de eventos tantos. Não tenho ido nem aos lançamentos dos livros dos amigos diletos que ainda julgo ter em Teresina. Mas fui ao 6º SALIPI no final da tarde da última terça-feira e ontem sexta-feira.
A idéia de se fazer uma feira de livros e autores, aqui no Piauí/Teresina, é fantástica, mesmo o nosso Estado amargando os piores índices no campo da educação nacional. Aliás, Arnaldo, a escola do Piauí, piorou, rapaz. Mas também nós acreditamos na mediocridade, meu amigo ausente. De qualquer maneira fazer o SALIPI associado ao Língua Viva é uma idéia inteligente/agradável aos olhos dos professores e alunos. Participei no final da década de 80 do primeiro Língua Viva, como expositor.
Mas voltando a minha furtiva ida ao 6º SALIPI isso me deixou recheado de reflexões: o evento é bom para a cidade/professores/alunos e o público em geral. Mexe com a auto-estima de todos Piauienses/Teresinenses os naturais e os que aqui aportaram(como eu) contra as mediocridades dos poderes: nacional, estadual e municipal. Reúne amigos, amigas, amores, ex-amores e novos amores. Apesar de um certo "clima" de bagunça pela imcompatibilidade geográfica do local. Mas o evento é uma "praia" de cultura.
Na terça-feira estava no auditório do Centro de Convenções o Cineas Santos (toda vez que vislumbro o Cineas, vilsumbro, também, o Prof. Didácio Silva, meu tio, professor dos melhores que conheci, há uma certa áurea entre Cineas e Didácio Silva incompreensível, eu ein) acompanhando o Paulo José Cunha e seu interminável dicionário sobre o glossário Piauiense. E ontem o momento mais mágico da minha pouca presença, encontrei amigos professores de literatura ou não, militantes das mesmas idéias, parlamentares, alunos e ex-alunos, o poeta humanista Thiago de Melo com seu vestuário branco, o mesmo de quando eu o conheci em 1979 e o lançamento da antologia: ESTAS FLORES DE LASCIVO ARABESCO a qual participo e que quer ser poemas eróticos piauienses, organizada por Fifi Bezerra e Wellington Soares. Livro de poesias no SALIPI. Falei pouquinho e não declamei nenhuma poesia durante o lançamento. Fui embora para meu enclausuramento. Mas foi fantástico, apesar do pouco tempo, saber que a cidade nestes dias sentiu o cheiro das letras.

Nenhum comentário: